quarta-feira, junho 30, 2004

Early Blogging

Por muito escura que a noite seja, a mão não se engana na boca. - Provérbio africano

 

*

 

Bom dia!

Early Blogging

Por muito escura que a noite seja, a mão não se engana na boca. - Provérbio africano
 
*
 
Bom dia!

sábado, junho 26, 2004

World Press Photo 2003



Primeiro prémio na categoria "Natureza"



O canadiano Paul Nicklen fotografou um cardume de salmões no Oceano Atlântico.

World Press Photo 2003


Primeiro prémio na categoria "Natureza"

O canadiano Paul Nicklen fotografou um cardume de salmões no Oceano Atlântico.

Os livros

sento-me no crepúsculo do fim da tarde,

cansado da suposta vida de plenitude

e é neste instante que o livro aparece

rodeado pela necessidade intensa do

enternecimento. percorro as lombadas dos

tomos que fui comprando e recordo aventuras

passadas na impossibilidade das letras nestes

apaixonados momentos de solidão sinto

o vício do toque do papel, a procura insana e

inócua que existe no desfolhar das folhas

cobertas de sonhos e procuro as minhas vivências

na impossibilidade da leitura onde vou refazendo

sonhos nos sonhos forjados dos escritores encapados.


- Rui Miguel Rocha

Os livros

sento-me no crepúsculo do fim da tarde,
cansado da suposta vida de plenitude
e é neste instante que o livro aparece
rodeado pela necessidade intensa do
enternecimento. percorro as lombadas dos
tomos que fui comprando e recordo aventuras
passadas na impossibilidade das letras nestes
apaixonados momentos de solidão sinto
o vício do toque do papel, a procura insana e
inócua que existe no desfolhar das folhas
cobertas de sonhos e procuro as minhas vivências
na impossibilidade da leitura onde vou refazendo
sonhos nos sonhos forjados dos escritores encapados.

- Rui Miguel Rocha

Citação

«Uma casa sem livros é como um corpo sem alma.» - Cícero

Citação

«Uma casa sem livros é como um corpo sem alma.» - Cícero

sexta-feira, junho 25, 2004

World Press Photo 2003



Terceiro prémio na categoria "Desporto"



Um salto na água, pelo australiano Craig Golding do 'The Sydney Morning Herald'.

World Press Photo 2003


Terceiro prémio na categoria "Desporto"

Um salto na água, pelo australiano Craig Golding do 'The Sydney Morning Herald'.

quinta-feira, junho 24, 2004

Early Blogging

«Feliz é o homem que acha sabedoria, e o homem que adquire entendimento; pois melhor é o lucro que ela dá do que o lucro da prata, e a sua renda do que o ouro. Mais preciosa é do que as jóias, e nada do que possas desejar é comparável a ela. Longura de dias há na sua mão direita; na sua esquerda riquezas e honra. Os seus caminhos são caminhos de delícias, e todas as suas veredas são paz. É árvore da vida para os que dela lançam mão, e bem-aventurado é todo aquele que a retém.» (Bíblia, livro de Provérbios cap. 3, vers. 13-18)

 

*

 

Bom dia!

Early Blogging

«Feliz é o homem que acha sabedoria, e o homem que adquire entendimento; pois melhor é o lucro que ela dá do que o lucro da prata, e a sua renda do que o ouro. Mais preciosa é do que as jóias, e nada do que possas desejar é comparável a ela. Longura de dias há na sua mão direita; na sua esquerda riquezas e honra. Os seus caminhos são caminhos de delícias, e todas as suas veredas são paz. É árvore da vida para os que dela lançam mão, e bem-aventurado é todo aquele que a retém.» (Bíblia, livro de Provérbios cap. 3, vers. 13-18)
 
*
 
Bom dia!

quarta-feira, junho 23, 2004

Ler é poder

Faz alguns anos li um artigo na revista XIS (quando era editada com o Jornal Correio da Manhã) sobre a leitura que nunca mais esqueci. Ficou-me na memória a ideia que o autor passou com o que escreveu. Em vão já tinha procurado esse artigo, tendo a impressão que tinha guardado essa revista em particular. Procurando melhor, um pouco resultado de umas arrumações aqui por casa, encontrei-o. Foi escrito por Pedro Boucherie Mendes. Tomei a liberdade de o transcrever. Espero que gostem.



«Vivemos num tempo em que não há tempo. Por causa disso, ler tornou-se uma miragem, uma daquelas coisas que nos dizem poder mudar as nossas vidas, mas que adiamos sistematicamente. Ao mesmo tempo, e porque há cada vez menos quem o faça, ler também se transformou numa maldição. Por outro lado dizem-nos que devíamos ler mais e se não o fizermos ficaremos de algum modo incompletos. Como se nos escapasse alguma coisa do mundo, numa espiral de ansiedade que transforma a leitura em algo de quase sagrado.

A leitura deve ser tudo menos uma obrigação. A leitura, qualquer leitura, é sempre uma descoberta. Mais, é uma descoberta muito própria de cada um. Não há duas leituras iguais. É um momento da mais pura intimidade. Quando lemos estamos sós. Tudo à nossa volta pára e deixa de importar, porque o poder da palavra se sobrepõe a tudo o resto. A leitura é o mais poderoso dos feitiços. As palavras levam-nos a sítios inimagináveis, apresentam-nos as pessoas mais extraordinárias, dão sustento aos nossos sonhos, tiram-nos literalmente o tapete debaixo dos pés e levam-nos para longe. Um longe que pode ser ao virar da esquina, mas que é sempre distante e sempre nosso.

A cultura da imagem, pelo contrário, é mais superficial. Não porque exista qualquer coisa de errado ou de menos certo ou até de incompleto, mas porque a imagem nos limita a imaginação. Está lá quase sempre tudo, o que significa que não é preciso ir dentro de nós buscar mais qualquer coisa, porque as imagens são completas em si mesmas, e ainda por cima colectivas: vemos todos o mesmo. Na palavra não. Quando um escritor escreve sobre alguém ou algum sítio, por exemplo, a liberdade é toda nossa para imaginarmos um "alguém" que só nós podemos ver e que será sempre diferente ao "alguém" de outra pessoa. Até mesmo diferente do "alguém" que o escritor concebeu. É esse o poder da leitura. É um poder absoluto e ilimitado que nos dá todo o direito de arrumar dentro de nós aquilo que o escritor escreveu, a partir da história que estamos a ler.

Mesmo que a nossa leitura não seja ficção, mesmo nos factos, temos a liberdade de desenhar alguns dos contornos à nossa maneira. É um poder bom porque até o abuso, o exagero do uso dessa liberdade, nunca resulta mal. Afinal é a nossa leitura e podemos fazer dela o que muito bem entendermos.

Ler absorve, descansa e estimula. Ler nunca é mau. Não há livros bons ou livros maus. Isso depende só de cada um de nós. Claro que há livros que se calhar devíamos ler um dia, mas isso é só porque têm uma importância que as mil e uma leituras dos outros lhe deram e que esses leitores quiseram partilhar connosco. Esses livros, sejam clássicos ou simplesmente livros que têm um êxito súbito, até podem nem ser os melhores. São livros que criam a ansiedade da leitura e fazem com que nos sintamos obrigados a lê-los. Nessas alturas o melhor é só os ler se verdadeiramente nos apetecer. Só assim poderemos aproveitar ao máximo a riqueza desse livro.

Não ler também não é necessariamente mau. Os livros esperam por nós e têm toda a paciência do mundo. Uma página por dia é tão bom como duas, três, cinco ou dez. O livro faz todo o trabalho por nós. O livro abre-se e seduz, agarra-nos e surpreende-nos. O livro cativa sempre, mesmo que o deixemos de parte durante algum tempo. Porque um livro tem sempre tempo.

Ler é também liberdade para o espírito. É como andar de carroussel com as palavras. É sempre emocionante ainda que possa ter momentos desconfortáveis aqui e ali. Ler é tão livre que até podemos sair do carroussel a meio. Ningué é obrigado a ler um livro até ao fim ou sequer a gostar do livro. E podemos ler os livros que mais gostamos vezes sem conta com a garantia de que será sempre uma experiência diferente. Ler é partilhar, é saber mais, é viver melhor. Ler é conseguir fazer tudo sem sair do mesmo lugar. Ler é abrir o nosso mundo. É mesmo assim.»


World Press Photo 2003



Primeiro prémio na categoria "Notícias gerais / fotografia singular"



O fotógrafo holandês da agência Reuters, Jerry Lampen, captou o sofrimento de uma mulher que chora a morte do marido, na Faixa de Gaza.

World Press Photo 2003


Primeiro prémio na categoria "Notícias gerais / fotografia singular"

O fotógrafo holandês da agência Reuters, Jerry Lampen, captou o sofrimento de uma mulher que chora a morte do marido, na Faixa de Gaza.

Livro Lido - "Matéria Proibida"

Matéria Proibida foi o livro que acabei hoje de ler. Escrito por Arnaud De Borchgrave e Robert Moss, editado pela Moraes Editores em 1981, é um romance que gira à volta da carreira jornalística de um jovem repórter chamado Robert Hockney. O enredo trata das relações entre os EUA e a antiga URSS, tendo como pano de fundo a guerra do Vietname e a obscura guerra de informação que se travava entre as duas grandes potências. Tendo em conta outros livros mais recentes que já li, este ficou um pouco aquém. Não quero deixar no entanto de referir uma frase que me fez lembrar a guerra no Iraque e tantas outras guerras que, apesar de menos mediáticas, grassam por este mundo fora. É a seguinte "É mais fácil uma pessoa identificar-se com uma revolução à distância do que quando entra nela. De perto, a guerra deixa de ser uma questão de bem ou de mal, mas sim de brutal sobrevivência."

O próximo a ler será Surpreendido pela Alegria de C.S. Lewis.

terça-feira, junho 22, 2004

A vida de uns e de outros

Ainda à pouco saí para ir despejar o lixo, e para beber um café (penso que ir despejar o lixo foi o pretexto para o café) e aproveitei fui ao terraço dar uma olhada à cidade. Em Lagos, juntamente com outros três o terraço do prédio onde vivo é o ponto mais alto da cidade e de onde se avista tudo num raio de vários quilómetros. E o que vejo? Entregue aos meus pensamentos, fui observando e olhando, ao longe as luzes da Meia Praia, Alvor, Portimão, Praia da Rocha, Ferragudo e aí por diante. Aqui mais perto, observei o sossego que envolvia as casas circundantes. A luz na sala de um apartamento; alguém que provavelmente via televisão. A vizinha um pouco mais abaixo que recolhia o estendal que tinha deixado na varanda. Dois homens que conversavam na rua à porta do café saboreando o fresco da noite. O material que por ali estava espalhado dos homens que andam pintando o prédio. Alguém que chegava num carro. Uma persiana que se corria. Uma bandeira de Portugal outra acolá em apoio da nossa Selecção. Eu que ali estava olhando, pensando e observando. Enfim, a vida de uns e de outros.

A vida de uns e de outros

Ainda à pouco saí para ir despejar o lixo, e para beber um café (penso que ir despejar o lixo foi o pretexto para o café) e aproveitei fui ao terraço dar uma olhada à cidade. Em Lagos, juntamente com outros três o terraço do prédio onde vivo é o ponto mais alto da cidade e de onde se avista tudo num raio de vários quilómetros. E o que vejo? Entregue aos meus pensamentos, fui observando e olhando, ao longe as luzes da Meia Praia, Alvor, Portimão, Praia da Rocha, Ferragudo e aí por diante. Aqui mais perto, observei o sossego que envolvia as casas circundantes. A luz na sala de um apartamento; alguém que provavelmente via televisão. A vizinha um pouco mais abaixo que recolhia o estendal que tinha deixado na varanda. Dois homens que conversavam na rua à porta do café saboreando o fresco da noite. O material que por ali estava espalhado dos homens que andam pintando o prédio. Alguém que chegava num carro. Uma persiana que se corria. Uma bandeira de Portugal outra acolá em apoio da nossa Selecção. Eu que ali estava olhando, pensando e observando. Enfim, a vida de uns e de outros.

World Press Photo 2003



Primeiro prémio na categoria "A outra face do desporto"



Uma equipa de homens mutilados jogam à bola na Serra Leoa. O norte-americano Adam Nadel fotografou o jogo para 'Christian Science Monitor'.

World Press Photo 2003


Primeiro prémio na categoria "A outra face do desporto"

Uma equipa de homens mutilados jogam à bola na Serra Leoa. O norte-americano Adam Nadel fotografou o jogo para 'Christian Science Monitor'.

Early Blogging

Para se realizar, a pessoa tem de plantar uma árvore, escrever um livro e ter um filho. - Provérbio chinês

 

*

 

Bom dia!

Early Blogging

Para se realizar, a pessoa tem de plantar uma árvore, escrever um livro e ter um filho. - Provérbio chinês
 
*
 
Bom dia!

segunda-feira, junho 21, 2004

World Press Photo 2003



Primeiro prémio na categoria "Arte e Entretenimento"



A norte-americana Mary Ellen Mark fotografou duas irmãs gémeas a dançar no Festival de Twinsburg, nos Estados Unidos.

World Press Photo 2003


Primeiro prémio na categoria "Arte e Entretenimento"

A norte-americana Mary Ellen Mark fotografou duas irmãs gémeas a dançar no Festival de Twinsburg, nos Estados Unidos.

Pensamento

"Um livro deve ser o machado que quebra o mar gelado em nós." - Franz Kafka

Pensamento

"Um livro deve ser o machado que quebra o mar gelado em nós." - Franz Kafka

domingo, junho 20, 2004

Early Blogging

The chief purpose of the family is to rear happy, intelligent, healthy and spiritually directed personalities. - Roy A. West

 

*

 

Bom dia!

Early Blogging

The chief purpose of the family is to rear happy, intelligent, healthy and spiritually directed personalities. - Roy A. West
 
*
 
Bom dia!

sábado, junho 19, 2004

World Press Photo 2003



Primeiro prémio na categoria "Notícias gerais / reportagem"



Um rapaz iraquiano sem os dois braços, resultado da guerra no Iraque. O fotógrafo russo Yuri Kozyrev é o responsável por esta imagem para a revista "Time".

World Press Photo 2003


Primeiro prémio na categoria "Notícias gerais / reportagem"

Um rapaz iraquiano sem os dois braços, resultado da guerra no Iraque. O fotógrafo russo Yuri Kozyrev é o responsável por esta imagem para a revista "Time".

sexta-feira, junho 18, 2004

World Press Photo 2003



Primeiro prémio na categoria "Notícias locais"



Uma mulher transporta uma criança ferida nos confrontos da guerra civil na Libéria. A fotografia é do francês Jean-Marc Bouju, o grande vencedor do concurso deste ano.

World Press Photo 2003


Primeiro prémio na categoria "Notícias locais"

Uma mulher transporta uma criança ferida nos confrontos da guerra civil na Libéria. A fotografia é do francês Jean-Marc Bouju, o grande vencedor do concurso deste ano.

quinta-feira, junho 17, 2004

Da Bíblia

"Melhor é ouvir a repreensão do sábio do que ouvir alguém a canção dos tolos." (Eclesiastes 7:5)

Da Bíblia

"Melhor é ouvir a repreensão do sábio do que ouvir alguém a canção dos tolos." (Eclesiastes 7:5)

quarta-feira, junho 16, 2004

World Press Photo 2003



Primeiro prémio na categoria "Retratos"



Uma fotografia do Presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, e o primeiro-ministro britânico, Tony Blair, tirada pelo fotógrafo britânico Nick Danziger, para a revista 'Saturday Times'.

World Press Photo 2003


Primeiro prémio na categoria "Retratos"

Uma fotografia do Presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, e o primeiro-ministro britânico, Tony Blair, tirada pelo fotógrafo britânico Nick Danziger, para a revista 'Saturday Times'.

Early Blogging

 

É remexendo a erva que se apanham grilos. - Provérbio africano

 

*

 

Bom dia!

Early Blogging

 
É remexendo a erva que se apanham grilos. - Provérbio africano
 
*
 
Bom dia!

terça-feira, junho 15, 2004

World Press Photo 2003



Primeiro prémio na categoria "Retratos com uma história".



A burocracia na Índia. Fotografia da holandesa Jan Banning para a revista "M Magazine".

World Press Photo 2003


Primeiro prémio na categoria "Retratos com uma história".

A burocracia na Índia. Fotografia da holandesa Jan Banning para a revista "M Magazine".

World Press Photo 2003



Dos 4176 fotógrafos profissionais, vindos de 124 países, que concorreram com 63.093 fotografias, 63 foram premiados nas dez diferentes categoria temáticas do concurso World Press Photo de 2003.



O grande vencedor foi o fotógrafo francês da agência Associated Press, Jean-Marc Bouju, com uma comovente imagem de um iraquiano a confortar o filho de quatro anos, num campo de prisioneiros de guerra em Najaf, no Iraque.

World Press Photo 2003


Dos 4176 fotógrafos profissionais, vindos de 124 países, que concorreram com 63.093 fotografias, 63 foram premiados nas dez diferentes categoria temáticas do concurso World Press Photo de 2003.

O grande vencedor foi o fotógrafo francês da agência Associated Press, Jean-Marc Bouju, com uma comovente imagem de um iraquiano a confortar o filho de quatro anos, num campo de prisioneiros de guerra em Najaf, no Iraque.

segunda-feira, junho 14, 2004

Early Blogging

 

Pretender contentar os seus desejos com a posse é contar sufocar o fogo com a palha. - Provérbio chinês

 

*

 

Bom dia!

domingo, junho 13, 2004

Partida

15 anos. Quase a fazer 16. Vários irmãos. Uma família pobre. Pai alcoólico que lhe desejou a morte nas últimas palavras trocadas em meio a uma discussão. Num dia de sol e praia, num braço de ferro com a força das ondas, ele foi mais fraco. Já não está entre nós. A amiga que assistiu sem nada poder fazer, os pais que perderam um filho, os irmãos que perderam o mais velho, os amigos que não se poderam despedir. Que surpresa, que choque, que drama, o da tragédia! Ainda no dia anterior à noite tinha estado com ele. Uma certeza resta, partiu com Jesus no coração e está no lugar de descanso com Deus.

Partida

15 anos. Quase a fazer 16. Vários irmãos. Uma família pobre. Pai alcoólico que lhe desejou a morte nas últimas palavras trocadas em meio a uma discussão. Num dia de sol e praia, num braço de ferro com a força das ondas, ele foi mais fraco. Já não está entre nós. A amiga que assistiu sem nada poder fazer, os pais que perderam um filho, os irmãos que perderam o mais velho, os amigos que não se poderam despedir. Que surpresa, que choque, que drama, o da tragédia! Ainda no dia anterior à noite tinha estado com ele. Uma certeza resta, partiu com Jesus no coração e está no lugar de descanso com Deus.

sábado, junho 12, 2004

Pensamento

Our lives improve only when we take chances - and the first and most difficult risk we can take is to be honest with ourselves. - Walter Anderson

Pensamento

Our lives improve only when we take chances - and the first and most difficult risk we can take is to be honest with ourselves. - Walter Anderson

quarta-feira, junho 09, 2004

De Fernando Pessoa

"Para ser grande, sê inteiro.

Nada teu exagera ou exclui.

Sê todo em cada coisa.

Põe quanto és no mínimo que fazes."

De Fernando Pessoa

"Para ser grande, sê inteiro.
Nada teu exagera ou exclui.
Sê todo em cada coisa.
Põe quanto és no mínimo que fazes."

Consternação e pesar

É o que se sente com a morte do Prof. Sousa Franco. Ainda ontem o vimos activo nas suas lides da campanha eleitoral, falando, criticando, cumprimentando, ouvindo. Hoje já não está entre nós. Os meus sentimentos à família e amigos, e a todos os que estão de luto pela partida deste homem com um percurso tão diversificado e rico na vida política, financeira e educacional deste país.

Consternação e pesar

É o que se sente com a morte do Prof. Sousa Franco. Ainda ontem o vimos activo nas suas lides da campanha eleitoral, falando, criticando, cumprimentando, ouvindo. Hoje já não está entre nós. Os meus sentimentos à família e amigos, e a todos os que estão de luto pela partida deste homem com um percurso tão diversificado e rico na vida política, financeira e educacional deste país.

Provérbio

Cabana onde se ri vale mais do que palácio onde se chora. - Provérbio chinês

Provérbio

Cabana onde se ri vale mais do que palácio onde se chora. - Provérbio chinês

Sento-me para escrever

Mas sem nada para dizer

Quero apenas algumas palavras

Aqui deixar



Acordei hoje pela manhã

E pensei "mais um dia normal"

"Normal?" agora me pergunto

Um dia nunca é sempre igual



Cada dia é um dia

Com os seus acontecimentos

Se não me parece diferente

Está tudo no meu pensamento



O segredo da felicidade

Alguém um dia disse

É viver cada momento

Com grande intensidade



Portanto, por agora

O meu dia vou começar

Lembrando que nas maõs de Deus está

O meu levantar e o meu deitar

Sento-me para escrever

Mas sem nada para dizer
Quero apenas algumas palavras
Aqui deixar

Acordei hoje pela manhã
E pensei "mais um dia normal"
"Normal?" agora me pergunto
Um dia nunca é sempre igual

Cada dia é um dia
Com os seus acontecimentos
Se não me parece diferente
Está tudo no meu pensamento

O segredo da felicidade
Alguém um dia disse
É viver cada momento
Com grande intensidade

Portanto, por agora
O meu dia vou começar
Lembrando que nas maõs de Deus está
O meu levantar e o meu deitar

segunda-feira, junho 07, 2004

Outros blogs

Achando a blogosfera cada vez mais interessante, quer pela variedade de autores, quer pela diversidade de opiniões e posições que podemos encontrar, irei adicionando à barra lateral de O Meu Caderno alguns links para outros blogs que irei lendo e com cujo conteúdo me identifico e gosto. Para já, para já, apenas faço referência ao primeiro blog que despertou em mim a ideia e interesse em manter um.

Outros blogs

Achando a blogosfera cada vez mais interessante, quer pela variedade de autores, quer pela diversidade de opiniões e posições que podemos encontrar, irei adicionando à barra lateral de O Meu Caderno alguns links para outros blogs que irei lendo e com cujo conteúdo me identifico e gosto. Para já, para já, apenas faço referência ao primeiro blog que despertou em mim a ideia e interesse em manter um.

domingo, junho 06, 2004

"Benção" desportiva

A selecção espanhola na sua deslocação a Portugal passou por Santiago de Compostela para pedir a "benção divina" para a sua participação no Euro 2004. Não sei o que devo achar mais patético, se o facto de os jogadores a pedirem, se o facto de a Igreja Católica aceitar "dar a benção". O que faz este tipo de coisas é as pessoas desconhecerem a Palavra de Deus - a Bíblia Sagrada.

"Benção" desportiva

A selecção espanhola na sua deslocação a Portugal passou por Santiago de Compostela para pedir a "benção divina" para a sua participação no Euro 2004. Não sei o que devo achar mais patético, se o facto de os jogadores a pedirem, se o facto de a Igreja Católica aceitar "dar a benção". O que faz este tipo de coisas é as pessoas desconhecerem a Palavra de Deus - a Bíblia Sagrada.

sábado, junho 05, 2004

Muita leitura, pouca leitura

Hoje (ontem mais precisamente) de manhã por breves instantes ouvi a jovem escritora Margarida Rebelo Pinto na SIC Notícias no seu comentário à imprensa do dia, mencionar a propósito de em Portugal se ler consideravelmente menos que em relação à média europeia, que o que é lecionado nas nossas escolas no que respeita a literatura deveria ser mais contemporâneo de maneira a estimular a leitura nos nossos jovens. Concordo. Mas penso também o seguinte: o gosto pela leitura também se desperta e se aprende, e os pais devem ter um papel activo no ensinar a ler e a gostar de ler.

Hoje em dia não se justifica que não se tente educar uma criança na leitura uma vez que existem variados autores com livros tão diversos e conteúdos tão ricos susceptíveis de despertar em qualquer um maior ou menor gosto pela leitura.

Conforme era publicitado há uns tempos por um jornal conhecido de todos, "Quem lê, sabe mais."

Muita leitura, pouca leitura

Hoje (ontem mais precisamente) de manhã por breves instantes ouvi a jovem escritora Margarida Rebelo Pinto na SIC Notícias no seu comentário à imprensa do dia, mencionar a propósito de em Portugal se ler consideravelmente menos que em relação à média europeia, que o que é lecionado nas nossas escolas no que respeita a literatura deveria ser mais contemporâneo de maneira a estimular a leitura nos nossos jovens. Concordo. Mas penso também o seguinte: o gosto pela leitura também se desperta e se aprende, e os pais devem ter um papel activo no ensinar a ler e a gostar de ler.
Hoje em dia não se justifica que não se tente educar uma criança na leitura uma vez que existem variados autores com livros tão diversos e conteúdos tão ricos susceptíveis de despertar em qualquer um maior ou menor gosto pela leitura.
Conforme era publicitado há uns tempos por um jornal conhecido de todos, "Quem lê, sabe mais."

sexta-feira, junho 04, 2004

Early Blogging

VERDADES SOBRE O DINHEIRO



Ele pode comprar uma casa, mas não um lar.



Ele pode comprar uma cama, mas não o sono.



Ele pode comprar um relógio, mas não o tempo.



Ele pode comprar um livro, mas não o conhecimento.



Ele pode comprar um título, mas não o respeito.



Ele pode comprar um médico, mas não a saúde.



Ele pode comprar sangue, mas não a vida.



Ele pode comprar o sexo, mas não o amor.



Early Blogging

VERDADES SOBRE O DINHEIRO

Ele pode comprar uma casa, mas não um lar.

Ele pode comprar uma cama, mas não o sono.

Ele pode comprar um relógio, mas não o tempo.

Ele pode comprar um livro, mas não o conhecimento.

Ele pode comprar um título, mas não o respeito.

Ele pode comprar um médico, mas não a saúde.

Ele pode comprar sangue, mas não a vida.

Ele pode comprar o sexo, mas não o amor.

quarta-feira, junho 02, 2004

Early Blogging

A criança ama a liberdade, mas é a sua primeira vitima. - Provérbio africano

 

*

 

Bom dia!



Early Blogging

A criança ama a liberdade, mas é a sua primeira vitima. - Provérbio africano
 
*
 
Bom dia!